sábado, 30 de março de 2013

Compactação Asfáltica


Uma pavimentação asfáltica de qualidade envolve em seu processo cuidados específicos com diversos fatores, tais como o tipo da mistura asfáltica, a curva de distribuição dos agregados, as condições climáticas durante a execução, entre outros. As etapas com maior suscetibilidade de erros são as execuções da pavimentação, pela operação da vibroacabadora de asfalto, e da compactação asfáltica, pela operação dos rolos compactadores. Neste tópico abordaremos a última etapa, que é a mais negligenciada e que pode comprometer todas as etapas anteriores mesmo que elas tenham sido bem executadas.
A compactação do concreto asfáltico é iniciada pela própria vibroacabadora de asfalto, que já pré-compacta o material através do sistema de placas vibratórias aquecidas. Os modelos de maior porte possuem também o tamper, que é um dispositivo de subida e descida a frente das placas vibratórias para auxiliar a pavimentadora no trabalho de pré-compactação e nivelamento do material asfáltico.
No entanto, são os rolos compactadores que possuem a atribuição de compactar a camada pavimentada. Alguns procedimentos básicos na operação precisam ser seguidos:
1)     Faixas de Compactação do Rolo:
A largura do cilindro do rolo compactador é inferior a largura de pavimentação da vibroacabadora de asfalto. Portanto, é necessário compactar em diferentes faixas. A execução deve ocorrer da seguinte forma:
·        Deve existir uma sobreposição entre as faixas de compactação, de 15 a 20 cm, evitando que haja partes não compactadas; 
·        Antes de mudar de direção, o cilindro deve ser levemente inclinado em relação à faixa compactada; 
·        As mudanças de faixas SEMPRE devem ser feitas na parte mais FRIA do asfalto. Ou seja, distante da vibroacabadora.
 
2)     Compactação em pavimentação sem contenção lateral:
Quando não há contenção lateral, tais como meio-fio de calçadas, o processo deve ser executado da seguinte forma:
·       A primeira passada de compactação (faixa número 1) deve ser iniciada a uma distância de aproximadamente 20 cm da lateral. Se a compactação for executada inicialmente junto a borda, ocorre o desalinhamento da mesma;
·       Nas faixas 2 e 3 a compactação é realizada de forma que cada faixa compactada tenha a sobreposição padrão (15 a 20 cm) uma em relação à outra;
·       Por fim, as duas pequenas faixas nas extremidades são compactadas (faixas 4 e 5).
 
3)     Compactação em pavimentação com contenções laterais:
Ocorre quando a pavimentação é executada entre calçadas e outras formas de contenção lateral.
 
A forma de executar é mais simples. A primeira passada do rolo (faixa 1) inicia na borda, junto à contenção lateral. O restante é compactado em faixas laterais sobrepostas até chegar à outra lateral.
 
4)     Compactação em pavimentação de faixas quente/fria:
A maioria das aplicações no Brasil se enquadra nesta classificação. A cultura de não utilizar pavimentadoras de maior porte faz com que seja necessário executar a pavimentação asfáltica em duas ou mais passadas. Isto ocorre quando a largura de pavimentação da máquina é inferior à largura da via.
 
 
Executadas em momentos diferentes, a primeira camada já estará resfriada no momento em que for aplicada a segunda. Portanto, alguns cuidados precisam ser seguidos:
·        A primeira passada (faixa 1) deve ser executada com 80% da largura do cilindro sobre a camada fria, e no máximo 20 cm sobre a camada quente; 
·        A segunda passada (faixa 2) deve ser executada com metade do cilindro sobre a camada fria e metade sobre o asfalto quente; 
·        IMPORTANTE: quando o cilindro estiver em contato com a camada fria (faixas 1 e 2), não deve ser utilizado o modo vibratório. O rolo deve operar nessas duas primeiras faixas em modo estático, pois a ação vibratória danifica a camada resfriada e também o próprio cilindro do equipamento; 
·        Na sequência, o rolo deve ser posicionado até a extremidade oposta (faixa 3) e respectivamente se deslocar até o centro (faixas 4 e 5).
 
5)     Compactação em pavimentação dupla:
Embora não seja comum no Brasil, este processo é utilizado largamente em países europeus onde se busca maior velocidade de execução das obras.
 


Quando duas vibroacabadoras de asfalto trabalham lado a lado e considerando que haja contenções laterais, a execução deve ocorrer da seguinte forma:
·        Iniciar a compactação pelas bordas, junto às contenções (faixa 1);
·        Os rolos são posicionados em uma nova faixa, em direção ao centro da pavimentação (faixas 2), obedecendo a sobreposição padrão de 15 a 20 cm;
·        Por fim, a última faixa (3) é compactada ao centro.
 
Além das recomendações mostradas, é preciso seguir mais alguns procedimentos básicos para uma ótima execução da compactação asfáltica:

·        Compactar sempre o mais próximo da vibroacabadora, desde que a temperatura do material não esteja acima de 145 °C;
·        Desligar a vibração antes de mudar de direção ou de parar o rolo;
·        Manobras sempre com movimentos suaves;
·        Ida e volta sempre pela mesma faixa, em linha reta;
·        Verificar o sistema de espargimento de água e os raspadores, para evitar a aderência de material asfáltico no cilindro do rolo;
·        Nunca deixar o rolo parado sobre o asfalto quente.

 
 
 

15 comentários:

  1. Amigo,
    Sou leigo no assunto,mas curioso
    Muito interessante seu blog
    Algumas perguntas:
    Por que se utiliza muitos equipamentos antigos em pavimentação?
    A temperatura do asfalto na hora da aplicação influi muito?
    Por que se utiliza rolo liso e de pneus na compactação?
    Obrigado
    Oswaldo Machado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Oswaldo,
      Fico feliz em ver que mesmo pessoas leigas ou que não trabalham diretamente com pavimentação se interessam pelo assunto. Acho que nossa maior missão é contribuir para a melhoria de nossas estradas, vias e ruas em todo o Brasil.

      Bom, respondendo as suas perguntas. Muitos equipamentos bastante antigos ainda são utilizados na pavimentação. Isto ocorre por diversas razões. As nossas obras ainda não apresentam projetos inovadores, com a utilização de novas máquinas e técnicas atuais Através do blog quero escrever bastante sobre estas técnicas. Outra razão é a fiscalização deficiente, principalmente na etapa de compactação de solos e asfalto. Assim, o construtor contratado não investe em maquinário novo porque isto não é exigido por quem o contrata (órgão público).

      A temperatura do asfalto influencia sim na pavimentação. A massa asfáltica sai da Usina a aproximadamente 160°C. O ideal é que seja aplicado na pista em uma faixa de temperatura entre 140° e 120°C. O limite de temperatura para compactação asfáltica é de 100°C.

      Na compactação asfáltica, o rolo liso é vibratório. Utilizado para assentar melhor o material. A função do rolo de pneu é vedar e selar a superfície, puxando os finos para a superfície visando melhorar a impermeabilização e dar o acabamento. Só que no Brasil muitas vezes a sequência é invertida, ou apenas se utiliza o rolo de pneus... enfim, escreverei a respeito aqui no Blog.

      Grande abraço e obrigado por escrever.

      Juliano

      Excluir
  2. Prezado Juliano,
    Obrigado pelas explicações.
    Continuo lendo seu blog e sempre participando
    Oswaldo mAchado

    ResponderExcluir
  3. Vibroacabadora Volvo (nunca vi no Brasil)
    http://mistrking.rajce.idnes.cz/Novy_asfaltovy_povrch_na_ulici_Mlynske_a_u_skoly_Velke_Hostice_14.-16.5._2013/

    Oswaldo Machado

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Ola, sou Rodrigo e trabalho no ramo, atulmente estou tendo pobrema com a massa asfaltica q chega pra mim na obra, pois o lado carona do caminhao chega com a massa desagregada com muita brita souta e isso compromete todo o trabalho! Acredito q seja a usina, gostaria d saber sua opniao! Obrigado

    ResponderExcluir
  6. Ola, gostaria de saber a forma ezata de calcula o gasto de massa asfaltica numa obra, pois eu uso esse metodo! (complimento x largura x espesura x 2.4 que é a densidad! Obrigado amigo

    ResponderExcluir
  7. Olá Rodrigo, a segregação pode ocorrer por diversas razões. Pode ser que seja a má qualidade da produção da mistura, o que é comum em usinas mais antigas ou naquelas em que o processo da mistura em si ocorre dentro do tambor de secagem (drum-mix).

    Outro fator pode ser o descarregamento no caminhão. O ideal é não descarregar de uma só vez no caminhão, mas sim em três "montinhos" principais. Para isto, é necessário que haja uma pequena movimentação do caminhão para que haja a formação destas três pilhas principais de asfalto na caçamba.

    Sobre o cálculo do gasto da massa asfáltica numa obra, a sua conta está correta. Eu costumo utilizar o valor de 2,3 para a densidade. Farei em breve uma postagem aqui no blog sobre formas de calcular produção e consumo de mistura asfáltica em uma obra.

    Abraço

    ResponderExcluir
  8. Obrigado pela atençao!!! Me esplica melhor, la agent faz da seguint forma, primeiro um "montinho" na part da frente da casamba, depois na part de tras e por ultimo no meio! Acho q o pobrema esta na qualidad da mistura, pois essa usina ao meu ver a muito tempo nao recebe mununteçao adquada!!!! Parabens pelo trabalho, Abraço

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde Juliano, parabéns pelo trabalho realizado no seu blog, sou Engenheiro Civil recém formado e seu blog ta acrescentando bastante para meus conhecimentos,obrigado.

    ResponderExcluir
  10. Olha muito interessante esse blog,sinceramente estou começando no ramo,faz um ano q sou operador rolista as tecnicas q aprendi estaõ totalmente corretas,resolvi dar uma pesquisada para tirar duvidas e tirei ambos quem me ensinou ensinou correto,mais o blog tirou minhas duvidas,valeu um abraço

    ResponderExcluir
  11. Olá Juliano gostaria de saber qual o método correto de se fazer coleta de material de base reciclada para compactação vários pontos como faço.




    ResponderExcluir
  12. Boa tarde trabalho no ramo mas queria saber a calibragem correta do rolo pneumático para entra numa massa asfáltica na espessura dec0,04cm e a rolagem do rolo de chapa para não Dar costelinha na massa asfáltica. Ob

    ResponderExcluir