quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Fresadoras de Asfalto


É o equipamento utilizado para remoção de pavimentos asfálticos, através de corte e desbaste de uma ou mais camadas. O material extraído é de tamanho uniforme. A espessura de trabalho é pré-determinada, podendo ser instalado um sistema de nivelamento para correção de greide.
 
O princípio de funcionamento ocorre através do giro de um cilindro de corte no sentido contrário ao do deslocamento do equipamento. O cilindro é dotado de inúmeros dentes de corte de fácil troca (conhecidos como “bits”) que penetram na camada e executam o corte através do movimento rotativo do cilindro. O material é transportado através de uma correia para descarga em um caminhão.
 
De acordo com a literatura da Wirtgen, maior fabricante mundial de fresadoras de asfalto, a fresagem é dividida em três tipos: fresagem profunda, fresagem fina ou microfresagem. A diferença basicamente é a distância entre os dentes de corte e a profundidade de trabalho alcançada.
A fresagem profunda, ou padrão, apresenta um distanciamento de 15 mm entre os pontos de corte na largura de fresagem. A profundidade depende do porte da máquina. Uma fresadora de 1 metro de largura chega a 30 centímetros de profundidade. Este tipo de fresagem pode alcançar e remover as camadas inferiores do pavimento.
Já na fresagem fina a distância entre os dentes de corte é reduzida para 8 mm. Esta aplicação é sugerida em pequenas correções de deformações, tais como trilha de rodas, e correções de nivelamento longitudinal e transversal da pista. Pode ser utilizada também em melhoria de aderência do pavimento.
Na microfresagem a distância entre os bits é de apenas 6 mm e a profundidade máxima reduzida a apenas 5 centímetros. Este tipo de aplicação é recomendado para aumento de aderência da pista e remoção de sinalizações antigas, sendo liberada ao tráfego sem a necessidade de um novo recapeamento.
No Brasil, a ampla maioria dos equipamentos está configurada para fresagem profunda. Poucas empresas adquiriram fresadoras configuradas para aplicação em fresagem fina e microfresagem.
 
Ainda é muito comum no Brasil encontrar ruas e avenidas em que várias camadas de asfalto foram colocadas uma sobre as outras, tais como a foto abaixo tirada em Salvador em que o nível do asfalto está mais alto do que a calçada. Esta “solução” (?) não é recomendada devido à reflexão de trincas e deformações do asfalto danificado para a nova camada.
 
A fresagem apresenta elevada produtividade em relação aos métodos antigos de remoção, tais como escarificação ou remoção completa através de retroescavadeiras. Devido a uma extração de granulometria relativamente uniforme, o material asfáltico fresado (conhecido também como RAP, do inglês Recycled Asphalt Pavement) pode ser reutilizado em mistura a frio para camadas de base e também em produção de nova mistura asfáltica a quente. Sobre estes temas escreverei um tópico a parte.
Veja um vídeo completo sobre fresadoras de asfalto
 

14 comentários:

  1. Excelente blog, parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns!!

    ResponderExcluir
  3. Ótimo Blog. Parabéns! Uma dúvida que sempre tive. Quando devo optar em escolher usar a recicladora ou a fresadora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sr. José. A fresagem é a melhor opção quando o objetivo é a REMOÇÃO do pavimento ou parte dele. Você consegue ter controle total da profundidade e largura do corte, além do material sair em forma granular.

      Já a Recicladora, a aplicação é para obras onde o objetivo seja reaproveitar o material existente sem remoção. Com a adição de materiais de reforços ou não, todo o material existente na pista é cortado, triturado, misturado e homgeneizado na própria pista. Você pode acrescentar mais capacidade de suporte.

      A princípio a Recicladora parece mais interessante, pois materais antigos podem ser reprocessados no próprio local sem necessidade de remoção. Só que dentro de cidades temos muitas interferências: bueiro, tubulações, poços de inspeção, etc. Nem sempre é possível reciclar tudo, como em uma rodovia sem estas interferências. Então dentro de cidades o ideal é remover o asfalto antigo (com cuidado para a fresadora não se chocar contra os obstáculos existentes) e aplicar um novo material, visto que a vida útil de um material asfáltico é de 7 a 10 anos.

      Excluir
  4. Ótimo artigo, Juliano. Muito esclarecedor. Parabéns!

    Você poderia fazer a gentileza de colocar o vídeo sobre as fresadoras que estava disponível anteriormente? Aparentemente o vídeo foi excluído do canal do YouTube que você havia linkado.

    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eduardo. Obrigado.

      Pois é, não tinha visto que o link do youtube tinha "dado pau". Vou ver algum vídeo que eu tenho e vou colocar no lugar.

      Abraço

      Excluir
    2. Juliano, vc achou o vídeo?

      Por acaso, não seria nenhum desses aqui: https://www.youtube.com/results?search_query=fresadora+de+asfalto

      Abraço

      Excluir
    3. Eduardo, vou separar uns vídeos que eu mesmo filmei e em breve postarei aqui.

      Abraço

      Excluir
    4. Agradeço se puder fazer isso, Juliano.

      Abraço!

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia,

    Voce sabe me informar, aproximadamente quantos m² são fresados por hora, por uma fresadora 1000x250 ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bia. A velocidade depende da profundidade do corte. Quanto mais profundo o corte, menor a velocidade de avanço.

      Sobre a sua pergunta, seria uma fresadora de 1,0 m de largura de trabalho e profundidade de 25 cm, é isso? Neste caso, se for uma fresadora com descarga traseira, pelo gráfico de produção daria um avanço de aproximadamente 2 m/min. Já numa espessura padrão de 5 cm, a velocidade aumenta para mais de 10 m/min.

      Excluir
  7. Olá. Poderia me informar o valor mensal do aluguel de uma fresadora de asfalto? Estou pensando em comprar uma e depois alugar, gostaria de saber se vale a pena.

    ResponderExcluir