sábado, 5 de janeiro de 2013

Rolos Compactadores


A etapa de compactação de solos e de asfalto é tão importante quando as demais fases no processo de construção de rodovias. Porém, não costuma receber a mesma importância e nível de preocupação. Uma falha de compactação no subleito de uma rodovia compromete todas as camadas acima. Erros de aplicação na compactação asfáltica podem comprometer totalmente a qualidade final da pavimentação, mesmo que o concreto asfáltico seja de boa qualidade e a pavimentação executada pela vibroacabadora tenha sido bem feita.

Os rolos compactadores são os equipamentos destinados a executar esta etapa. Em terraplenagem, a compactação consiste em preencher vazios e aumentar a capacidade de suporte do solo. Em compactação asfáltica, consiste em comprimir o concreto asfáltico, garantindo segurança e conforto aos veículos, e selar a superfície de modo que a água não penetre na estrutura.

Também conhecido popularmente como rolo compressor, os compactadores estão divididos em diferentes faixas em classificação da ABIMAQ. Estas são:

-   Faixa A (Single-drum> 5 < 9 ton)
-   Faixa B (Single-drum> 9 < 13 ton)
-   Faixa C (Single-drum> 13 ton)
-   Faixa D (Tandem < 4 ton)
-   Faixa E (Tandem > 4 ton)
-   Faixa F (Combinados)
-   Faixa G (Estático)
-   Faixa H (Pneumático)

Os rolos single-drum, de cilindro único vibratório, são destinados à compactação de base (terraplenagem). O sistema vibratório consiste em um peso excêntrico localizado no eixo central do cilindro, cujo acionamento de um movimento rotativo faz com que o cilindro “vibre”, ou seja, o mesmo sobe a uma pequena altura (denominada amplitude) e golpeia o solo várias vezes por segundo (medido em Hertz). Isto potencializa a força aplicada em até duas vezes o peso operacional do compactador. O impacto vibratório faz com que ondas de choque sejam geradas para todas as direções, provocando vibrações que reduzem o atrito entre as partículas, facilitando a compactação. No entanto, é preciso extremo cuidado para não danificar edificações próximas, tubulações enterradas e outros obstáculos.



O cilindro dos rolos single-drum pode ser liso ou corrugado (com patas).  O primeiro é destinado à compactação de solos granulares e arenosos. Já o cilindro do tipo pata é destinado à compactação de material coesivo, do tipo argiloso. A função da pata é penetrar superficialmente no solo, aumentando a área de contato para que a coesão entre as partículas seja quebrada e que a evaporação seja favorecida, assim o material pode ser compactado.



É importante atentar em relação à umidade, pois o solo não pode estar nem muito seco, nem muito úmido, sendo necessário estar próxima a umidade ótima. Fazendo uma simples analogia, para fazer um castelo de areia é preciso colocar um pouco de água, pois se a areia estiver muito seca não se consegue compactar. E se molhar demais, fica saturado. É preciso adicionar uma quantidade exata para atingir a umidade ótima, assim fica possível compactar. Em trabalho de compactação de solos, o princípio é exatamente o mesmo.

Os rolos tandem são os de duplo cilindro vibratórios.São utilizados principalmente em compactação de camadas asfálticas pelo fato de não ter pneus de tração como os rolos single-drum, o que deixaria marcas no asfalto.Rolos combinados possuem cilindro vibratório dianteiro e pneus de borracha em todo o eixo traseiro. São recomendados para pequenos serviços, tais como operação tapa-buraco e pequenos reparos.Já rolos pneumáticos são utilizados para selamento e acabamento final da camada asfáltica. Os pneus do eixo dianteiro são posicionados entre os espaços dos pneus do eixo traseiro, garantindo a total largura de rolagem. Por ser um rolo estático, sem gerar ondas de choque dos cilindros vibratórios, é utilizado em compactação sobre pontes, viadutos e demais locais onde não é permitida a compactação vibratória.



Existem também rolos de tecnologia oscilatória de compactação, uma patente da fabricante alemã Hamm. Este tipo de rolo possui um sistema em que o cilindro mantém contato permanente com a superfície realizando um movimento oscilatório, sem gerar ondas de choque e alcançando grau de compactação superior ao do sistema vibratório convencional. Sobre esta tecnologia escreverei um tópico a parte.

Publicarei em breve também sobre erros básicos de compactação que são cometidos e dicas de como compactar com qualidade, compartilhando experiências vivenciadas como engenheiro de aplicação da Ciber em visitas a obras de construção rodoviária. 

14 comentários:

  1. Qual o rolo indicado para fazer a compactação do asfalto de tratamento simples de 3 camada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Junior, vi só agora a sua postagem. O blogger não havia me enviado notificação de postagem. Bom, para tratamento superficial triplo o ideal é passar o rolo duplo liso vibratório no modo estático ou um rolo pneumático. Eu considero que o rolo de pneus sempre é melhor para o acabamento superficial, pois a propriedade da borracha é puxar os finos e dar um melhor fechamento.

      Excluir
  2. Olá, gostaria de saber qual a diferença entra base, sub-base, leito e sub-leito? E o que significa "puxar os fino" em sua resposta? Estou gostando muito do blog, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Subleito é o solo natural da região, que deve ser compactado. Dependendo de suas características e da obra a ser construída, este solo necessita ser reforçado. Base e sub-base são as camadas que dão suporte para as camadas asfálticas, sendo formados por materiais granulares (rachão, macadame hidráulica, brita graduada, etc). Sua espessura e os materiais empregados dependem do projeto, do tráfego que a rodovia receberá, da disponibilidade local de materiais, etc.

      Já o termo "puxar os finos" significa que um rolo de pneu ao passar sobre a camada asfáltica faz com que o material mais fino da mistura seja trazido até os poros superficiais. É o mesmo efeito em uma obra de construção civil ao passar uma desempenadeira sobre o cimento fresco. Os poros existentes em sua superfície são "fechados" e assim o acabamento se torna de melhor qualidade.

      Abraço

      Excluir
  3. Primeiramente gostaria de parabenizá-lo! Excelente primor técnico!
    Tenho uma dúvida: Existe cálculo para avaliar a altura de massa asfáltica solta para que após a compactação a massa alcance a espessura de projeto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Consideramos uma espessura de lançamento pela vibroacabadora de asfalto cerca de 20% superior à espessura compactada. Por exemplo, se a minha espessura final compactada deve ter 5 cm, eu preciso lançar o material com 20% a mais (ou seja, 6 cm). Obrigado por ler o blog, abs.

      Excluir
  4. Olá boa noite muito interessante suas respostas. Pergunto em uma base qual o correto? Ir para frente vibrando e voltar selando? Ou posso ir e voltar vibrando desagrega o material?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Esmael. Numa camada de base o ideal é compactar com tambor liso vibratório primeiramente. O rolo de pneus na sequência para selar. Ir e voltar vibrando não irá desagregar o material.

      Excluir
  5. ola juliano na camada de asfalto o chapa ou o pneu atras da acabadora.e sobre o chapa hamm

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde estou lendo suas publicações e olha gostig muito parabéns,e venho lhe perguntar trabalho na area de pavimentação qyal a porcentagem de água a ser colocado para recortar a emulsão rr2c para pintura de ligação e qual o tempo para ruptura desde já agradeço.

    ResponderExcluir
  7. Olá boa tarde em primeiro lugar gostaria de parabenizar pela suas publicações e gostaria de saber qual a porcentagem de água a ser colocado para recortar a emulsão rr2c para pintura de ligação e qual o tempo de ruptura do ligante.

    ResponderExcluir